domingo, 5 de agosto de 2007

Evolução....

As vezes o que eu mais queria era voltar a ser criança. Jogar bola na rua com os pés descalços, empinar pipas, jogar pião, apostar corridas de bicicletas, subir em muros, esconde-esconde, polícia e ladrão...

Quem não lembra dos tempos de infância? Quando as mães diziam que tínhamos que aproveitar pois acabaria rápido? Que viriam os compromissos, as responsabilidades, as mágoas, as saudades, a chatice!

É, como dizia Cazuza, "O tempo não pára e a gente ainda passa voando".

Tenho saudades. Mas isso é bom, sinal que aproveitei bastante, que coisas boas aconteceram na melhor fase da minha vida. Não que hoje não seja bom. Mas aquele tempo foi melhor, e demorei exatamente vinte e dois anos para perceber isso.

Se pudesse faria algumas coisas diferentes na minha vida. Não magoaria algumas pessoas, mas também não teria contato com outras, não faria questão. Até agora a vida me ensinou muitas coisas, mas as vezes queria que ela não tivesse ensinado. Não queria ter passado por coisas que eu mesmo criei.

Desilusões, mágoas, arrependimentos, aquele sentimento de impotência de não poder fazer nada em situações desagradáveis. Lógico que não tive só isso na vida, mas as coisas ruins marcam de uma maneira não profunda que mesmo sendo em número menor, conseguem se igualar as boas.

Não tenho medo de arriscar, isso nunca tive. Tenho medo de estar preso, de não poder desfrutar da liberdade da escolha. Tenho medo de quando for velho, olhar para trás e perceber que não fiz coisas que deveria ter feito. Tenho medo que a balança pese para o lado errado.

2 comentários:

mfernanda_cunha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
elnunes disse...

Eh cara.. feliz aquele q nunca se arrependeu.
Ae, mto bom esse texto hem...
abraço doido